Google
 

quinta-feira, julho 05, 2012

Poesia Gaucha Balada do Setestrelo

Certo dia estando viajando de metrô em Porto Alegre li o poema abaixo que achei sensacional:

Balada do Setestrelo

Sete noites, setestrelo, de volúpia e desespero,
sete espadas, sete luzes, sete noites no caminho,
sete janelas abertas, sete cruzes eu sozinho,
sete lâmpadas acesas, sete carrilhões na estrada,
sete sinos capuchinhos balindo o selo do nada,
sete rosas, sete espinhos, sete pedras no caminho,
sete vestidos de noiva, sete noivos, sete montes,

sete noites mal dormidas sete contas setestrelo
sete anéis, sete vidas, sete espigas sete vezes
debulhadas, no caminho eu sozinho setestrelo,
sete anáguas, sete ventos, sete mares setestrelo,
sete versos, sete pontas, sete pregos no sapato,
sete cadarços de arame, sete sandálias de prata,
sete lampiões de fogo perdidos na densa mata. 

Eduardo Dall´Alba





Daniel E P Oliveira

MR Consultoria
Fone +55 51 3489 7534
Rua Paul Zivi n° 80
 Distrito Industrial
 Gravataí RS BR
 CEP 94.045.430



Este e-mail é confidencial e somente para uso do destinatário. Caso tenha recebido indevidamente, por favor delete-o imediatamente e comunique ao remetente.

Receba por E-mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Agregadores