Google
 

quarta-feira, setembro 12, 2012

Como Nasce a Poesia - Fernando Pessoa

...” o poeta vulgar sente espontaneamente com a largueza que naturalmente projetaria em versos como os que ele escreve; e depois, refletindo, sujeita essa emoção a cortes e retoques e outras mutilações ou alterações, em obediência a uma regra exterior.

Nenhum homem foi alguma vez poeta assim.

A disciplina do ritmo é aprendida até ficar sendo uma parte da alma: o verso que a emoção produz nasce já subordinado a essa disciplina.

Uma emoção naturalmente harmônica é uma emoção naturalmente ordenada; uma emoção  naturalmente ordenada é uma emoção naturalmente traduzida num ritmo ordenado, pois a emoção dá o ritmo e a ordem que há nela, a ordem que no ritmo há.

 

Na palavra, a inteligência dá a frase, a emoção o ritmo. Quando o pensamento do poeta é alto,

isto é, formado de uma idéia que produz uma emoção, esse pensamento, já de si harmônico pela junção equilibrada de idéia e emoção, e pela nobreza de ambas, transmite esse equilíbrio de emoção e de sentimento à frase e ao ritmo, e assim, como disse, a frase, súdita do pensamento que a define, busca-o, e o ritmo, escravo da emoção que esse pensamento agregou a si, o serve.”

 

Análise de Fernando Pessoa sobre a poesia de Álvaro de Campos (um de seus próprios pseudônimos)

Fonte: http://www.secrel.com.br/jpoesia/facam.html

 

Receba por E-mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Agregadores