Google
 

domingo, agosto 09, 2009

Não desanime - Joanna de Ângelis


Abençoe-nos o Senhor e nos guarde na sua paz!
Adensam-se as sombras. Os fantasmas do desequilíbrio e da destruição confraternizam no festival da loucura humana. A dor amesquinha os ideais edificantes da Humanidade. O despautério e as ambições galvanizam as mentes que se divorciaram de Deus, estabelecendo as propostas de caos, conduzidas pela tecnologia de ponta e pelos desvarios da razão.
6500 anos de ética, de cultura e de civilização não lograram arrancar dos instintos primevos o Espírito enclausurado nos mecanismos atávicos do passado.
As glórias de um dia desaparecem e as marcas profundas do desequilíbrio aturdem por longo prazo.
A História não tem ensinado à criatura a conduta que deveria seguir ante os desafios do futuro. Repetem-se os gravames que deveriam estar superados. Alternam-se os armistícios e as conflagrações, a paz e a guerra, sendo os aparentes períodos de paz, oportunidades de armamentos para novas agressões.
Deus, o Espírito imortal e o Amor parecem jazer ignorados de muitos governantes e de muitos segmentos da soberba sociedade humana.
Não obstante, raia madrugada nova!
A treva teimosa, densa e ameaçadora, não resiste ao lampejar de uma estrela, nem à débil claridade de uma vela. A madrugada do mundo novo começa, esbatendo a sombra dominadora para fulgir o novo dia.
Sois os vanguardeiros do porvir!
Comprometeste-vos com a misericórdia do Alto para contribuirdes na restauração do mundo. Vosso esforço ignorado pelo planeta ansioso e aturdido virá a flux no momento próprio, como o botão desabrocha ao cálido beijo do sol na planta que venceu a invernia.
Os cristãos primitivos, na intimidade das catacumbas, buscavam Jesus, orando e intercambiando com o Mundo Espiritual, dominados por um grande ardor e visitados pelos Numes da Imortalidade.
Repetis a experiência deles, no silêncio das novas catacumbas, na intimidade dos corações pulsantes de amor e das mentes anelantes pela plenitude.
A marcha do progresso é inexorável e a Divindade vela pela barca terrestre.
Perguntais: ‘Até quando, a dor amesquinhará a vida humana e o homem, desorientado, entregar-se-lhe-á sem qualquer resistência?’
Inquiris: ‘Quando os Céus promoverão a chuva de Estrelas Luminíferas, para que a noite se transforme num grande dia?’
Tende calma e velai!
O Senhor da Vida ama, e no seu Código de Amor não vicejam a precipitação, o improviso, nem o desequilíbrio.
Desde há algum tempo, mergulham na carne, essas Estrelas Luminosas que fulgirão nas diversas áreas do Pensamento, alterando a estrutura da Cultura, do Conhecimento e da Arte, da Fé e da Ciência. Este é o século em que a Ciência e a Tecnologia promoveram a mente. O próximo será o do Amor e da Educação que dignificarão a criatura humana. A Arte sensibilizará as vidas e os sentimentos nortearão as diretrizes da investigação científica no rumo da Divindade e do Bem.
Prossegui, rompendo a psicosfera carregada do mundo, mediante as pequeninas luzes que acendeis nas mentes turbilhonadas que jornadeiam a esmo na Erraticidade inferior.
Dai prosseguimento ao vosso trabalho de semeadores, sem vos importardes com os grãos e o pólen que caiam no asfalto e não germinem, ou que as pragas exterminem, tendo a certeza de que, aqueloutros que caírem em solo fértil dar-vos-ão compensações pródigas de um milhão por um, alterando a paisagem do mundo.
Reabilitai-vos de gravames pesados de ontem, nos mesmos lugares onde vos comprometestes e a Lei da Vida vos trouxe de retorno para recuperardes o pratrimônio malbaratado e os valores desperdiçados.
Não marchais a sós! Vossa solidão é acompanhada por Benfeitores afáveis, e vossas lágrimas são anotadas por corações afetuosos da Imortalidade que vos inspiram. Continuai unidos, fortalecendo a corrente da solidariedade, para que possam os valores do Espírito vencer as paixões primitivas, que trabalham pelo isolacionismo e pela desagregação.
Jesus veio a sós, com Deus. Convidou apenas doze, dos quais um se equivocou, o outro se enganou, mas ele mudou praticamente a estrutura da história humana.
Allan Kardec restaura-lhe os ensinamentos sob sua inspiração e delega-vos a tarefa de espalhar a luz na direção do futuro.
Segui, servidores do Evangelho restaurado, cantando-lhe as estrofes harmônicas e nobres aos ouvidos loucos da Humanidade distraída.
Ouvir-vos-ão aqueles que procuram o norte, aqueles que têm lágrimas ocultas e aqueloutros que necessitam de amizade.
Sede, pois, as mãos do Cristo descrucificado, a sua voz, e deixai que o seu amor se espraie de vossos sentimentos, arrastando vidas na direção da paz e da esperança.
Nunca desanimeis! Não é fácil persistir, mas o Cristo não vos oferece facilidades, pois que já as desperdiçastes.
Agora, vos brinda a luta restauradora, o trabalho libertador, e avançando intimoratos e fiéis chegareis ao termo da jornada com o coração túmido de felicidade e em espírito plenificado pelo dever cumprido.
Que ele, o Amigo de todas as horas, que jamais vos abandona, vos abençoe e vos dê paz.
São os votos da vossa amiga espiritual,


Joanna de Ângelis

Receba por E-mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Agregadores